Comidas típicas do Pará – Brasil

Tucupi temperado

Por ser um estado pertencente a região amazônica, as comidas típicas do Estado do Pará meio que se misturam com os Estados vizinhos, mas o mais tradicional na culinária são:

Pato no tucupi: Tucupi é um caldo amarelo tirado da mandioca que é cozido por uma semana e depois de assar o pato, ainda é cozido dentro do tucupi e servido com arroz branco, farinha de mandioca e jambu.

  • Maniçoba Do tupi Maní
  • Caruru
  • Tacacá
  • Vatapá
  • Chibé

Alguns dos peixes e mariscos: Pirarucu,  Tambaqui,  Tamuatá,  Tucunaré,  Dourada,  Pescada,  Sarda,  Piramutaba,  Traíra,  Pacu e Piranha

Prato típico: Tacacá

  • Pato no tucupi Constituído de pato, tucupi e jambu. O tucupi é um caldo amarelo extraído da mandioca e por isso precisa ser cozido durante uma semana. O pato, depois de assado, é cortado em pedaços e fervido no tucupi, onde fica de molho por algum tempo. O jambu é fervido em água com sal, escorrido e posto sobre o pato. É servido com arroz branco e farinha de mandioca.
  • Maniçoba Do tupi Maní, deusa da mandioca. Usa-se uma tipicamente uma panela de barro ou de porcelana. Prato de aspecto duvidoso, demora pelo menos uma semana para ser feito, pois a folha da maniva (a planta da mandioca), depois de moída, deve ser cozida durante, pelo menos, quatro dias com a intenção de eliminar o ácido cianídrico que contém. Depois disso é acrescentado o charque, toucinho, bucho, mocotó, orelha, pé e costelas salgadas de porco, chouriço, linguiça e paio, praticamente os mesmos ingredientes de uma feijoada completa. É servido com arroz branco, farinha d’água e pimenta de cheiro a gosto.
  • Caruru Feito com quiabo, camarões secos e inteiros, tempero verde (alfavaca e chicória), farinha seca bem fina e azeite de dendê. Após fervidos o quiabo, o tempero verde e os camarões na água, acrescenta-se a farinha e faz um pirão. Estando pronto o pirão, adicionando os quiabos bem escorridos, o camarão já refogado com todos os temperos e, por último, o azeite de dendê.
  • Tacacá De origem indígena, é um mingau quase líquido, servida em cuias e vendida pelas “tacacazeiras”, geralmente ao entardecer, na esquina das principais ruas das cidades paraenses, sobretudo Belém. É constituído de uma mistura que leva tucupi, goma de tapioca cozida, jambu e camarão seco.
  • Vatapá O vatapá paraense não leva peixe, nem amendoim, nem castanha-de-caju. Ao caldo da cozedura das cabeças e das cascas de camarão salgado perfumado com alfavaca, chicória, alhos e cheiro verde, adiciona-se farinha de trigo e/ou de arroz, obtendo-se um mingau. Acrescenta-se o leite de coco puro, camarões já fervidos e azeite de dendê.
  • Chibé Vocábulo tupi, composto de Che – eu, meu – e Ibe ou Tibe- caldo. É considerada a mais paraense de todas as comidas. Uma bebida com um gosto levemente acidulado, leva farinha de mandioca e água. Muito nutritiva, pois após ser processada, a mandioca ultrapassa, em dobro, ou mais até, a quantidade da maioria de seus elementos nutritivos. (Wikipédia).

Arroz Paraense: Camarões, jambu e tucupi.

=====================================

Mais comidas típicas de outros Estados brasileiros.

=====================================

acai com peixe

Açaí com Peixe Frito

Por: F.S.Em: 7 de abril de 2009 | Em Comidas & Receitas  | Tags: , ,  
Curta no Facebook:

54 respostas para “Comidas típicas do Pará – Brasil”

  1. marcela,vc é muito chata ,se vc naõ esperimentar como vai gosta,certamente vc ñ é paraense esta acostumada só com feijaõ,arroz e xuxu…comida de paulista.

  2. ACHO QUE VOCÊ SE CONFUNDIU.
    O TUCUPI NÃO PRECEISA SER FERVIDO POR UMA SEMANA, APENAS É PRECISO QUE SE FERVA E SÓ DEPOIS DE ALGUM TEMPO DE FERVURA ELE JÁ PODE SER CONSUMIDO.
    QUANDO DISSE QUE OUVE UM ENGANO ME REFERIA AO SEGUINTE, A IGUARIA PARAENSE QUE PRECISA DE "UMA SEMANA" DE COZIMENTO É MANIÇOBA. POIS É UM PRATO FEITO COM AS FOLHAS MOIDAS DA MANDIOQUEIRA ( PLANTA DA QUAL É EXTRAIDO DE SUAS RAIZES O TUCUPI). TO ESSE TEMPO DE COZIMENTO SE DEVIDO AS FOLHAS APRESENTAREN SUBSTÂNCIAS TOXICAS EM SUA COMPOSIÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *