CUIDADO: Seus filhos usam esta sandália? Podem estar correndo perigo!

Não imaginam o risco que seus filhos estão correndo de usar uma simples sandália que parece inofensiva, até saberem do que são feitas. A corrida por ganhar dinheiro a qualquer custo está fora dos padrões de empresários que não sem importam com quem vai usar, colocando em risco a saúde das pessoas.

Não só as crianças, mas a contaminação pode afetar seriamente a vida dos adultos. Pode ser que você esteja usando um deste agora sem saber do perigo que está correndo.

 

Estes tipos estranhos de chinelos que caíram no gosto de todos, por serem baratos e confortáveis. Hoje são encontrados em supermercados, mercearias, sapatarias e até em bazares pela cidade, por isso mesmo, já viraram febre de consumo.

Podem não serem todos, mas a grande maioria vem da China aos montes, tudo para baratear o custo do transporte marítimo. Boa parte destes são feitos de plásticos reciclados de galões e vasilhames, de plásticos elastômeros, usados com defensivos agrícolas de alta contaminação que penetra na embalagem, e mesmo bem lavado, derretido e processado para fazer os chinelos, vários componentes altamente tóxicos permanecem impregnados no material. Até a pintura das cores chamativas são com tintas tóxicas com concentração de chumbo.

Conforme o tempo de uso, combinado com calor ambiente e dos pés, estes componentes acabam sendo liberados e penetrando na pele, podendo causar alergias, ferimentos e até doenças mais graves por entrar na corrente sanguínea.

Aqui no Brasil, isso é proibido por lei a reutilização em produtos para consumo ou uso, conforme pode ver no final desta página.

Ficando claro de que

Todos calçados de plásticos fabricados no Brasil ou importados de empresas conhecidas, até mesmo estes tipos de sandálias, são de ótima qualidade, porque utilizam plásticos de qualidade comprovada e sem a presença de produtos químicos prejudiciais para saúde.
O alerta é para os calçados de procedência duvidosa, que de vez em quando inundam o mercado com preços super baratos, podendo ter a matéria prima reciclada de embalagens usadas em defensivos agrícolas vindo de países que não tem nenhum controle.

Veja como ficou o pé da menina depois de um certo tempo usando uma sandália de fabricação duvidosa.

Outros riscos de usar estes calçados

Além de tudo, ainda estes calçados colocam crianças em risco nos aeroportos e locais com escadas rolantes. Veja como ficou a sandália depois de entalar na lateral da escada rolante, isso aconteceu a 3 anos em Atlanta, causando sérios ferimentos no pé. Já foram registrados 7 acidentes só neste ano.

Cartazes de alertas foram colocados nas plataformas de trens subterrâneos de Washington, pedindo para que pelo menos as crianças deixem de usar estes calçados pelo risco que correm em subirem e descerem as escadas rolantes. O cartaz mostra o que acontece quando o pé fica preso e se demorar muito interromper a funcionamento da escada, os danos poderão ser muito graves.

Já houve casos de até amputação dos dedos do pé, porque o modo que ficou preso e a demora em segurar a escada, acabou por destruir totalmente os nervos, sem possibilidade de cirurgia para religamentos.

Portando, sempre o melhor remédio é a prevenção. Evitem que seus filhos usem calçados sem saberem da procedência e quem são os fabricantes.

Destino das embalagens de agrotóxicos no Brasil

No Brasil, são reciclados 94% das embalagens com produtos tóxicos usados nas lavouras e indústrias. A meta é chegar em 100%, evitando assim a contaminação do solo, rios e córregos. Os agricultores que usam defensivos agrícolas são obrigados a ter em sua propriedade um espaço construido especialmente para guardar as embalagens.

Depois do uso, o proprietário segue um padrão de lavagem e furo no fundo de cada um, para evitar a reutilização. Depois, em datas programadas, o caminhão passa fazendo a coleta nos pontos combinados, tudo registrado com documentos para controle de quantas embalagens comprou e quantas estão retornando vazias. A norma é definida por lei, artigo 53, do Decreto 4.074. Quem desobedecer é multado e até proibido de adquirir os produtos na próxima safra.

Posto de recebimento de embalagens de defensivos agrícolas em Cachoeiro – ES. – Tem 100m2 e pode armazenar até 24 toneladas, volume que uma carreta pode levar.

Com uma logística bem definida, segundo o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV), 94% das embalagens são coletadas nas 400 unidades de recebimentos em todos os Estados do Brasil.

Uso das embalagens de agrotóxicos

Todos materiais reciclados recolhidos são derretidos e transformados em novas embalagens para armazenar produtos químicos, como os mesmo agrotóxicos, caixas de descarga, caixinhas para instalação elétrica, embalagens para óleos industriais, lubrificantes e outros que não tenham contato direto com o ser humano. Tudo rigorosamente fiscalizado e controlado.

O Brasil chegou aos 94% de reciclagem das embalagens contaminadas, sendo referência mundial na logística de reciclagem de embalagens tóxicas.

  • Em segundo lugar vem a Alemanha com 76%
  • Em terceiro o Canadá com 73%
  • Em quarto a França com 66%
  • Em quinto o Japão com 50%
  • Em sexto lugar os Estados Unidos com apenas 30%

Na China e outros países sem nenhuma lei que regulamente a reutilização, são derretidos e transformados em sandálias, chinelos e muitos produtos para uso em limpeza doméstica. Como são muito baratos, são exportados para o mundo todo, levando risco para saúde de pessoas.

Por: F.S.Em: 14 de outubro de 2016 | Em Moda e beleza  | Tags: , ,  
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *