Crianças mais felizes são bagunceiras, teimosas e briguentas

Quanto mais barulhenta for a criança, seja aprontando peraltices, chorando ou querendo brincar o tempo todo, mais chances de serem felizes na vida adulta. Não que as crianças quietinhas serão infelizes quando crescerem, mas as peraltas e bagunceiras tem uma chance muito maior, já que, crescem levando para a vida adulta a desenvoltura que ganharam com suas teimosias no dia a dia da convivência familiar.

Lugares sem crianças ou com restrições para entrada delas

Quem costuma viajar muito, sabe que existem hotéis, restaurantes e bares que são “livres de crianças”, ou seja, quem tem criança pode até se hospedar ou ir nestes lugares, mas tem alas ou salas separadas dos que não querem ouvir barulhos, choros e correrias de crianças. Até parece que um dia eles também não foram crianças, mas viraram adultos revoltados com a presença dos pequeninos e procuram lugares que não as encontrem pelo caminho.

Este tipo de hospedagem está crescendo pelo mundo, lugares livres de crianças. Só procurar que encontramos muitos destes facilmente.

Casos de crianças de repercussão

Em voos já aconteceu casos de repercussão por reclamação de choro de crianças, como foi o caso da Sarah Blackwood, cantora do Canadá que embarcou com seu filho pequeno e antes do avião decolar ele começou ficar inquieto e logo fez um berreiro. Alguns passageiros ficaram resmungando e o constrangimento foi maior ainda quando a aeromoça chegou e pediu para que a mãe desse um jeito, porque estavam reclamando e que ela poderia até ser retirada do avião antes dele decolar. Isso foi chocante para alguns, mais para outros, era insuportável aguentar os barulhos e choros durante o voo.

Mesmo o avião em procedimento de decolagem, retornou ao ponto de partida e a mãe foi convidada a se retirar e teve que deixar a aeronave, foi constrangedor diz ela. A companhia aérea, SkyWest Airlines, tentando se explicar pela repercussão que o caso tomou, divulgou um comunicado:

“A tripulação tomou a decisão difícil de remover a senhora Blackwood e seu filho do voo baseada unicamente em questões de segurança. Apesar de inúmeras solicitações, a criança não estava sentada, conforme exigido pela regulamentação federal para garantir a segurança dos passageiros, e foi repetidamente para o corredor da aeronave antes da partida e durante o taxiamento. Enquanto nossas equipes trabalhavam para tornar a viagem segura e confortável para todos os viajantes, em particular para as famílias, a tripulação tomou a decisão apropriada de retornar ao portão”

A cantora ficou mais chocada ainda quando leu a declaração e disse que “Nós estávamos em um assento de janela com um senhor ao nosso lado… Meu filho não estava nem perto de um corredor”

A criança chora porque é a única forma de reclamar do que não gosta ou tem algo errado, pode estar com dores, não gostar do lugar que está, não está sendo bem tratada ou alguém está provocando. A medida que crescer e começar falar, já podem dizer o motivo do choro, mas como ainda não tem o auto controle como os adultos, a choradeira é comum. Por isso, devemos por obrigação tentar entende-las, antes de dar uma bronca, ver se não estão sentindo dores ou outro motivo.

Crianças imperativas ou inquietas

A escola chamou a mãe e pediu para levar seu filho em um neuropsicólogo porque achava estranho o comportamento dela durante as aulas, não parava quieta e sempre interrompia a aula para fazer perguntas, mesmo que a professora pedisse para que não o fizesse. A mãe aceitou o conselho e lá foi ao médico fazer uma consulta para saber o que estava acontecendo.

Depois que saíram da consulta, perguntado para a criança o que o doutor tinha falado pra ela, veio a resposta na ponta da língua, como sempre faz: Ele conversou muito e disse

Você não tem nada, você é uma criança muito inteligente, muito esperta e a bagunça que faz na sala de aula não é doença nenhuma. Pediu para a mãe falar para professora que eu sou uma criança normal, não tenho nada.

O médico só pediu para tentar entender a criança e convencer conversando muito com ela. Que isso na maioria delas é muito bom, é sinal de que elas só querem é saber muito mais do que a turma toda, é sinal de um futuro promissor, só temos que ajuda-las com educação adequada, sem puni-las. Aos poucos elas serão mais calmas, mas levarão para a vida adulta a vontade de sempre querer mais em qualquer atividade de sua vida.

Por: F.S.Em: 24 de novembro de 2016 | Em Educação  | Tags: ,  
Curta no Facebook:

Uma resposta para “Crianças mais felizes são bagunceiras, teimosas e briguentas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *