Quem for pego com uma Bíblia neste país, sofrerá Pena de Morte

É condenado apenas por ter uma crença diferente da sua, acredita nisso? A que ponto o ser humano chega, de matar alguém, porque não concorda com o que o outro pensa. É isso mesmo, pena de morte para quem for pego com uma bíblia andando pelas ruas, ou até mesmo em casa, em caso de uma blitz policial por qualquer motivo.

Isso é real e está acontecendo neste momento na Arábia Saudita, no Oriente Médio, local onde o Islã é a religião oficial e não se admite pensar diferente. Estranho é o pensamento deles, que matam porque o outro está com uma bíblia, e isso pode, não é pecado e nem proibido pela crença que seguem, uma vertente, denominada Wahabismo, mais extrema daquela religião.

Lá as mulheres são obrigadas a sair com o corpo todo coberto. Não tem nem a metade dos direitos dos homens. São obrigadas a obedecer seus maridos e se apanharem não podem nem pensar em denunciar, senão serão presas.

Quem pretender morar na Arábia Saudita sem ter muitos problemas com as autoridades, e não correr o risco de ser condenado a morte, o primeiro passo é se converter ao Islã e depois seguir rigorosamente as leis.

Em 2014 foram executadas 90 pessoas e em 2016 mais 102. Mesmo com a pressão da Anistia Internacional, o país não abre nada sobre o rito de suas condenações, que são decididas por juízes e os interrogatórios das vítimas são por meio de torturas e praticamente sem direito a defesa.

“Sentenciar centenas de pessoas à morte após procedimentos legais amplamente falhos é vergonhoso”, disse, em nota, Said Boumedouha, diretor do programa da Anistia para o Oriente Médio e o Norte da África.

“A pena de morte é horrenda sob todas as circunstâncias, e é particularmente deplorável quando aplicada arbitrariamente após gritantes julgamentos injustos.”

As leis da Arábia Saudita tem uma rígida interpretação da lei islâmica (sharia). Existe condenação por drogas, religião, bruxarias, heresia e vários outros delitos que são incluídos conforme a vontade de seus governantes.

“A nova lei inclui a importação de todas as drogas ilegais e ‘todas as publicações que tragam prejuízo às crenças religiosas do Islã’”, denunciou a Sociedade Missionária HeartCry, liderada pelo pastor Paul Washer. “Em outras palavras, qualquer um que tenta levar Bíblias ou literatura evangélica para o país terá todo material confiscado, será preso e condenado à morte.”

Pessoas são condenadas a castigos corporais só porque escrevem algo que as autoridades interpretem como um insulto ao Islã, o que não é permitido nem em pensamento.

Paul Washer diz que “Há casos de cristãos sendo sequestrados, assassinados e sofrendo violência física regularmente. Um saudita que aceita Cristo como seu Salvador sabe que corre o risco de perder o emprego, o acesso à educação para os seus filhos, ou até mesmo o direito de ter água e eletricidade em casa”.

Outras informações sobre a Arábia Saudita

A Arábia Saudita tem cerca de 30 milhões de habitantes

  • Religião – 97% são muçulmanos
  • Qualquer tipo de igreja ou templo que não seja as mesquitas são proibidos
  • Manifestação ou culto religioso que não seja o islamismo são proibidos
  • Andar com uma bíblia é terminantemente proibido, sob pena de ser preso, julgado e condenado por desobediência da lei. Muitos são condenados a morte
  • Eleições: A Arábia Saudita é o único país árabe que nunca teve eleições nacionais
  • Dirigir: Mulher não pode dirigir

Por: F.S.Em: 10 de outubro de 2016 | Em Governo  | Tags: ,  
Curta no Facebook:

2 respostas para “Quem for pego com uma Bíblia neste país, sofrerá Pena de Morte”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *