SUS vai fazer cirurgia bariátrica por videolaparoscopia

O SUS a partir de hoje vai fazer cirurgias bariátricas por videolaparoscopia para pessoas que tem problemas de obesidade. A publicação saiu no Diário Oficial de 01/02/17 e os procedimentos já poderão ser agendados conforme a demanda de cada localidade.

O procedimento sem cortes é mais eficiente e com menos tempo de internamento, com a recuperação do paciente muito mais rápido. Na cirurgia por videolaparoscopia são feitos apenas furos de até 1,2 cm cada para passagem das cânulas acompanhada de uma mini câmera de vídeo.

A escolha deste procedimento foi recomendada pela Conitec – Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias:

“A evidência atualmente disponível sobre eficácia e segurança do procedimento de gastroplastia com derivação intestinal em Y-de-Roux por laparoscopia para tratamento da obesidade grave e mórbida é baseada em revisões sistemáticas, estudos clínicos controlados e estudos observacionais”

PORTARIA No – 5, DE 31 DE JANEIRO DE 2017

Torna pública a decisão de incorporar o procedimento de cirurgia bariátrica por videolaparoscopia no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS.
O SECRETÁRIO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, no uso de suas atribuições legais e com base nos termos dos art. 20 e art. 23 do
Decreto 7.646, de 21 de dezembro de 2011, resolve:

Art. 1º Fica incorporado o procedimento de cirurgia bariátrica por videolaparoscopia no âmbito do Sistema Único de Saúde- SUS.

Art. 2º O relatório de recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) sobre essa tecnologia estará disponível no endereço eletrônico: http://conit e c . g o v. b r / .
Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
MARCO ANTONIO DE ARAUJO FIREMAN

A prioridade pra as cirurgias bariátricas videolaparoscopia pelo SUS será seguida das seguinte diretrizes

1 – Massa corporal – IMC igual ou superior a 50

2 – Massa corporal – IMC igual ou superior a 40 para pacientes que já trataram no mínimo por 2 anos sem sucesso com ou sem doenças associadas.

3 – Massa corporal – IMC igual ou superior a 35 para pacientes com problemas graves cardiovasculares, hipertensos graves, diabéticos mellitus, apneia do sono de alto grau, problemas graves de articulação degenerativas que não são amenizadas com outros tratamentos.

A obesidade é uma das causas no surgimento de várias doenças e o tratamento contínuo custa caro aos cofres do governo. Quem pode paga para fazer as cirurgias em clínicas particulares,  mas custam caro e uma grande parcela da população está desamparada. Com a implantação imediata para início das cirurgias pela SUS, o governo espera beneficiar principalmente aqueles que sofrem muito por serem obesos.

Procure seu médico ou um posto de saúde para fazer uma avaliação da possibilidade de entrar na fila dos procedimentos cirúrgicos que o SUS passou a oferecer.

Por: F.S.Em: 1 de Fevereiro de 2017 | Em Saúde  | Tags: ,  
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *