Fazer sexo faz as pessoas “acreditarem mais em Deus”, indica Pesquisa

Um estudo da Universidade Duke afirma: hormônio liberado durante o sexo torna os homens mais propensos em acreditar em Deus.

De acordo com a pesquisa, o estímulo da oxitocina, além de promover a ligação social e ajudar no parto, também aumenta o sentimento de religiosidade.

No estudo, homens de meia idade tiveram seus níveis de oxitocina aumentados, o que fazia com que sua crença espiritual aumentasse e permanecesse significante após uma semana.

Um grupo de controle, que recebeu placebo, não mostrou aumento nos níveis de espiritualidade. Além disso, aqueles que receberam o hormônio disseram ter mais emoções positivas durante sessões de meditação.

Patty Van Cappallen, psicóloga social e autora do estudo, disse do jornal Duke Today:

“Espiritualidade e meditação já foram associadas em pesquisas anteriores. Estamos interessados em entender os fatores biológicos que aumentam as experiências espirituais. A oxitocina parece ser um elemento importante que o corpo utiliza para apoiar suas crenças”

Os resultados do estudo foram publicados no periódico Social Cognitive and Affective Neuroscience.

 

Sentido de propósito

A oxitocina é produzida naturalmente pelo hipotálamo. Diversas pesquisa apontam que este hormônio tem um papel importante em promover a empatia, a confiança, as relações sociais e o altruísmo.

No estudo, o grupo que recebeu a oxitocina, afirmou que a espiritualidade era importante em suas vidas e que acreditavam ter um sentido de propósito e significado.

Tanto aqueles que participavam de alguma religião quando os “não praticantes” mostraram os mesmos sinais.

Referência

Effects of oxytocin administration on spirituality and emotional responses to meditation,” Patty Van Cappellen, Baldwin M. Way, Suzannah F. Isgett and Barbara L. Fredrickson. Social Cognitive and Affective Neuroscience, 2016. DOI: 10.1093/scan/nsw078

Veja também:

 

 

Por: A.S.Em: 30 de setembro de 2016 | Em Outros  |
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *